S. Vicente de Paulo

Imprimir

 

 

Vicente de Paulo nasceu numa família de camponeses a 24 de Abril de 1581, na aldeia de Pouy no sudoeste de França. Estudou teologia na Universidade de Tolosa, e foi ordenado sacerdote aos 19 anos. Completou os seus estudos teológicos quatro anos mais tarde.

Aproveitou o seu estatuto de sacerdote, para escapar a vida monótona da sua aldeia e partiu para Paris. 

 

Aí, Vicente encontrou um guia espiritual de grande sabedoria, Pedro de Bérule, que pouco a pouco o ajudou a compreender que ajudar os outros era muito mais importante que seguir as suas ambições pessoais. Durante alguns anos, Vicente esteve como pároco na Paróquia de Clichi, perto de Paris. 

 

Em 1613 foi nomeado preceptor dos filhos do General das Galés em França

Em 1617 tornou-se o capelão dos galerianos. Ele tinha a seu cargo, o cuidado espiritual dos camponeses que viviam nas terras pertencentes aos Senhores de Gondi. Aos poucos, Vicente começa a descobrir o caminho dos pobres. Inicia o caminho da conversão.

 

Para responder às necessidades dos pobres do seu tempo, Vicente empreende várias Fundações: As Confrarias das Damas da Caridade – 08 de Dezembro de 1617, primeiro em Paris, depois em toda a França. Vicente convenceu-as a consagrar uma parte do seu tempo e do seu dinheiro a ajudar os pobres.

Criou vários hospitais, dos quais, um em Marselha para cuidar os condenados às Galeras. Muitas vezes foi solicitado a agir como mediador nas guerras de religião que dilaceravam a França.

 

Congregação da Missão em 25 de Janeiro de 1625. Vendo a pobreza espiritual dos camponeses, lentamente influenciou alguns sacerdotes jovens com os quais decidiu fundar a Congregação da Missão, cujos sacerdotes são muitas vezes conhecidos pelo nome de “Lazaristas”. Dedicaram-se então a trabalhar com os camponeses que viviam nas proximidades de Paris, anunciando-lhes a Boa nova do Evangelho e ajudando-os também nas suas carências espirituais distribuindo-lhes roupa e alimentos.

  

As Filhas da Caridade a 29 de Novembro de 1633. Com Luísa de Marillac, uma mulher dotada de grandes talentos espirituais e de grande sensibilidade, fundou a primeira congregação, cujos membros se consagraram inteiramente ao serviço dos Pobres, fora do Claustro: a Companhia das Filhas da Caridade. Dedicou-se também à Formação do clero, nos Seminários...  

 

Vicente era um homem de acção mais que um teórico. A Sua força interior era comunicativa. O Seu espírito era simples, prático e directo. Olhava Cristo como seu Mestre e procurava traduzir a mensagem do Evangelho em realizações concretas.

 

Organizador nato, Vicente era também um homem de uma fé profunda, um homem de oração. Um místico. A imensa gama de serviços que ele criou para os pobres não somente o fruto de uma simples filantropia. Enraíza-se no Evangelho na perspectiva de Mateus 25, onde Jesus nos Diz:

“O que fizerdes aos meus irmãos mais pequeninos é mim que o fazeis”

São Vicente de Paulo faleceu em 27 de Setembro de 1660 com fama de santidade.

A sua canonização ocorreu em 16 de Junho de 1737, pelo Papa Clemente XII. Em 12 de Maio de 1885 foi declarado, pelo Papa Leão XIII, patrono de todas as Obras de Caridade da Igreja Católica.

 

Frases de S. Vicente de Paulo:

"Amemos a Deus, meus irmãos, amemos a Deus, mas que isto seja à custa dos nossos braços, e com o suor dos nossos rostos".

"Se dez vezes ao dia visitardes os pobres, dez vezes ao dia encontrareis Jesus Cristo.

"É preciso que vós e eu tomemos a resolução de jamais faltar à oração diária. Digo: diária, minhas Filhas, mas se pudesse, diria: não a deixemos nunca".

"Depois do soberano amor de Deus, a segunda coisa que Deus vos pede é que vos estimeis mutuamente, como irmãs que Ele uniu com laços de seu amor".

Sunday the 24th. Custom text here